• C.N.O.T em Destaque

Lesão do Ligamento Cruzado Posterior

O LCP é o principal estabilizador da tíbia quanto a sua queda posterior , evitando sua posteriorização. Quando rompido completamente pode provocar algum grau de instabilidade e dor . As lesões grau III ( queda posterior da tíbia > 10 mm ) e as lesões combinadas ( associadas a outras lesões ) devem ser operadas. O processo de reabilitação deve ser feito por profissionais experientes nesse tipo de lesão a fim de não comprometer o resultado.




Como é o processo de reabilitação ?


FASE 1: imediatamente após a cirurgia até 4 semanas depois

• Uso de joelheira com apoio posterior promovendo a anteriorização da tíbia , travada em extensão

• Prevenir flexão do joelho o tempo todo

• deixar um travesseiro embaixo da tíbia proximal, na região posterior (de trás do joelho) para prevenir o movimento da tíbia durante o descanso

• mobilização patelar

• fortalecimento do quadríceps

• elevação da perna estendida

• abdução e adução do quadril

• movimentação do tornozelo ( panturrilha )

• estimulação elétrica do quadríceps quando necessário (fisioterapeuta)



FASE 2 : 1 a 3 meses


aumentar ROM, principalmente na flexão

• normalizar a marcha

• aumentar a força do quadríceps e flexibilidade da panturrilha

• 8 semanas: descontinuar a joelheira conforme a indicação de nossa equipe

• 8a semana: descontinuar a bengala em caso de:

• extensão completa do joelho

• flexão do joelho entre 90 a 100 graus

• melhora da marcha

• muitas vezes é preciso manter a bengala por 12 semanas

• exercícios:

• 4-8 semanas:

1. deslizamento na parede, agachamento discreto (0-45o)

2. leg press com 0-60o

1. ficar em pé de quatro formas: flexão de quadril, extensão, adução e abdução

2. andar nas pontas dos pés dentro da água

◦ 8-12 semanas:

1. bicicleta ergométrica: deixar o banco mais elevado que o normal e os pés fora do suporte afivelado

2. aparelho de subida em degraus

3. bicicleta elíptica (elliptical trainer)

4. exercícios de propriocepção e balanço

5. alongamento de panturrilha sentado

6. leg press de 0 a 90o

7. faixa ou corrente para extensão do joelho com resistência



3. FASE 3 : 3o a 9o mês após a cirurgia

◦ marcha normal

◦ quadríceps normal

◦ ausência de lesão ou restrições patelofemoral

◦ ausência de dor no ROM

◦ objetivos: tentar reestabelecer qualquer pequena restrição de movimento que ainda permaneça, evitar irritação patelar e melhorar a função patelar

◦ exercícios:

◦ faixa ou corrente para extensão do joelho com resistência

◦ esteira

◦ natação

◦ corrida dentro da piscina com colete ou cinto



4. FASE 4: 9o mês após a cirurgia até retomada completa das atividades

◦ retorno gradual ao esporte

181 visualizações

Posts recentes

Ver tudo